Estamos, aqui no Esporte Final, duplamente de ressaca. Pelo fim dos Jogos Olímpicos e porque este é nosso último texto.

Nossa história está intimamente ligada ao esporte olímpico. A ideia do EF nasceu durante os Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio. Depois de um breve período para entender como seria o site, uma experiência em serviços gratuitos e uma pausa pós-Pequim-2008, estreamos pra valer dia 27 de outubro de 2008.

“Aqui se falará muito de futebol, mas também de automobilismo, tênis, natação, basquete, judô, futebol americano, atletismo, vôlei, ciclismo, pólo aquático, futsal, levantamento de peso, tênis de mesa, esgrima, jogo de botão e tudo que puder ser chamado de esporte. Não temos preconceito e nosso gosto esportivo não dura apenas 90 minutos com 11 de cada lado”, dizia o primeiro texto aqui publicado.

E, pensando a partir desta ideia, acertamos. Falamos de todos estes esportes e vários outros. Acertamos muito, erramos também. Lutamos pelas causas que acreditamos, falamos de racismo, de homofobia, de igualdade, da necessidade de inclusão. Criticamos, elogiamos, amadurecemos, aprendemos com nossos erros. Melhoramos. Fomos, acima de tudo, sinceros com o que pensamos e com o que sempre acreditamos. Lançamos um livro, elegemos Os 30+ das Copas, Os 30+ Olímpicos e os escudos de futebol mais bonitos do mundo, criamos um novo Ranking do Futebol Brasileiro. Durante a Copa do Mundo de 2014, tivemos mais de 1 milhão de visualizações. Mantivemos um podcast semanal em parceria com a Central 3 durante dois anos e meio. Foram 3.661 textos publicados, média de mais de um por dia.

Pira olímpica da Rio-2016 apagada

A pira olímpica apagada: nosso ciclo começou e acabou no Rio (Foto: Manan Vatsyayana/AFP)

Mas há alguns meses percebemos que nossa missão como site tinha sido cumprida. Cada um da equipe tem outros compromissos e prioridades, o tempo ficou escasso e tudo que não queremos é que a qualidade caia. A internet provocou uma transformação significativa no mundo nestes oito anos, e hoje o EF precisaria passar por uma grande mudança para seguir de pé. Seria preciso transformar.

Por aqui passaram 16 autores fixos, entre editores e colaboradores, além de dezenas de textos publicados por convidados. De José Antonio Lima e Rodrigo Borges, que construíram a casa, até a equipe final, com Borges, Fabio Chiorino, Mariana Lajolo, Bruno Winckler e Alexandre Cossenza, além de Roger Booyou, nosso desenvolvedor. Fomos parceiros de “CartaCapital” e do “Lance!”, a quem agradecemos. Trabalhamos em parceria com marcas como Adidas, Athleta, Editora Abril e Vale.

O ciclo que começou com o Pan no Rio terminou ontem, quando a pira carioca se apagou. Temos apenas motivos para alegria, novos projetos e novas ideias virão e se alguém quiser nos encontrar basta clicar no “Quem somos” aí em cima. Vamos embora com a sensação da medalha no peito. E gratos a você, que lê este texto e certamente ajudou a construir esta história. Muito obrigado.